S.O.S Segurança Pública

O movimento S.O.S Segurança Pública, realizou um ato público na cidade de São Paulo, que teve início em frente ao Palácio da Polícia Civil e seu término na Secretaria de Segurança Pública. Leia mais »

 

Movimento S.O.S. Segurança Pública é recebido pelo Secretário da Segurança Pública

No dia de ontem, 03/11/2016, o Secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, recebeu os membros do Movimento S.O.S Segurança Pública. 

Na oportunidade, o movimento ressaltou que permanece unido e mobilizado na tentativa de obter melhorias para a Polícia Civil. 

O Secretário, ressaltou a importância do diálogo e comunicou que nos próximos dias, novos policiais civis, de todas as carreiras, serão convocados, destacando que a carreira de Escrivão de Polícia terá um número maior de convocações, em razão de ser a carreira com maior defasagem de pessoal. 

A próxima manifestação do Movimento S.O.S Segurança Pública, ocorrerá no próximo dia 08/11/2016, às 16:00hs, no vão livre do Masp, oportunidade que os policiais civis poderão externar o seu descontentamento. 

Juntos somos fortes, unidos somos imbatíveis! 

A Diretoria

Secretário da Segurança Pública

Movimento S.O.S. Segurança Pública é recebido pelo Secretário da Segurança Pública

Grupo de Estudos se reúne para tratar do Plano de Reestruturação da Polícia Civil

No dia de ontem, 31/10/2016, teve início as discussões que tratam do plano de reestruturação da Polícia Civil, criada através da Resolução- SSP-129/2015. 

O SIPESP, representado por seu presidente, João Batista Rebouças da Silva Neto, esteve presente na reunião, em companhia dos demais componentes do grupo. 

Em suas ponderações, o presidente do SIPESP, solicitou que o Governo também encaminhasse ao grupo, os projetos que visem a reestruturação e a valorização da polícia civil, além de se comprometer a ajudar nos estudos, para que possam apresentar soluções para os problemas da Polícia Civil. 

Dentre os assuntos, também foi discutido a imediata convocação dos aprovados nos concursos, o fim do interstício de cinco anos na classe para a mantença da mesma no momento da aposentadoria e o fiel cumprimento da Lei Federal 51/85, para que os aposentados tenham o direito a integralidade dos vencimentos, além da paridade. 

Todos os componentes do grupo puderam expor os seus argumentos com relação ao atual momento da Polícia Civil e se comprometeram a contribuir nos estudos. 

Em breve, nova reunião será convocada, com a apresentação da pauta contendo as reivindicações e projetos apresentados, que serão analisados e discutidos pelo grupo de trabalho. 

A Diretoria

Matéria da Folha de São Paulo, relata um pouco da nossa realidade

No último dia 25/10/2016, a Folha de São Paulo, publicou uma matéria com o título “Aposentadorias disparam, e Polícia Civil de São Paulo encolhe”. 

A matéria expõe a explosão de pedidos de aposentadorias dos nossos policiais, que cresceu mais de 800% em dez anos, não havendo reposição na mesma escala, fato que compromete os serviços e traz um quadro preocupante para os próximos anos, diante do envelhecimento da instituição.

A matéria ainda mostra que muitos policiais do serviço ativo ou estão próximos de se aposentar ou já possuem tempo para a aposentadoria, fato que agrava a defasagem de pessoal, que atualmente chega a aproximadamente 15.000 policiais.

Para o Governo, parte da defasagem foi motivada pela lei 144/14, que culminou na aposentadoria compulsória de centenas de policiais.

O Governo também coloca a culpa na crise econômica e na Lei de Responsabilidade Fiscal, como entraves para a contratação de novos policiais. Porém, alega que vem investindo na modernização de equipamentos e na contratação de mais funcionários.

Apesar dos argumentos, o que falta na verdade é uma política séria de Segurança Pública, com a plena valorização dos nossos policiais, que possa amenizar os nossos problemas. O policial civil sofre com o descaso do Governo e não possui nenhuma motivação para permanecer no serviço ativo.

Falta seriedade quando se abre concurso e não se convoca todos os aprovados. Falta seriedade quando o diálogo é realizado com “entidades” associativas sem qualquer comprometimento com a classe policial civil. Falta seriedade quando se interpreta a lei para prejudicar os nossos policiais.

Matérias como estas trazem informações que já são de pleno conhecimento da classe policial civil, porém são de suma importância e relevância para esclarecer a sociedade sobre a nossa situação.

A Diretoria

Nova resolução do Secretário da Segurança Pública traz mais uma atribuição aos Policiais Civis

No último dia 08/10/2016, o Sr. Secretário da Segurança Pública, editou a Resolução SSP-102, que em síntese, obriga o policial civil a apresentar o preso provisório à autoridade judiciária.

Dentre as obrigações, o policial civil deverá permanecer no Fórum até o término das audiências para a adoção das providências de polícia judiciária, enquanto um efetivo da Polícia Militar será destacado para acompanhar a movimentação do preso no interior do Fórum.

Tal Resolução, sobrecarrega o policial civil de todas as formas, pois além de receber mais um atributo, terá que “se virar” com as pífias condições de trabalho recebida da Administração para conduzir o preso até a audiência de custódia.

A sociedade também será afetada, pois o efetivo policial civil estará ainda mais reduzido, comprometendo as investigações e por consequência a elucidação dos crimes.

O SIPESP cobrou providências da Delegacia Geral, para que tal Resolução traga o menor desgaste possível aos nossos policiais.

Necessitamos de condições dignas de trabalho, de valorização profissional, efetivo policial compatível e comprometimento eficaz com a Segurança Pública.

 A Diretoria

Secretário da segurança pública recebe os representantes do Movimento S.O.S Segurança Pública

No dia de hoje, o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, recebeu os representantes do movimento S.O.S Segurança Pública.

O Secretário se mostrou solidário à pauta de reivindicações e afirmou que levará ao Governador as pretensões do movimento.

Ressaltou que novas nomeações serão realizadas até o término do corrente ano, fato que permanecerá ocorrendo, até que todos sejam efetivamente nomeados.

Todos os representantes tiveram uso da palavra e foram uníssonos em afirmar que o movimento permanecerá ativo e mobilizado até que a pauta reivindicatória seja atendida.

Também foi consenso entre os presentes, que as entidades que compõe o Movimento S.O S Segurança Pública, são as únicas que possuem legitimidade e representatividade para representar os policiais civis do Estado de São Paulo, de forma ordeira e organizada, em prol dos seus direitos.

Juntos somos fortes, unidos somos imbatíveis!

A Diretoria

SOS Seguranca Pública

Ato público do movimento S.O.S. Segurança Pública mostra força

No dia de ontem, 21/09, o movimento S.O.S Segurança Pública, realizou um ato público na cidade de São Paulo, que teve início em frente ao Palácio da Polícia Civil e seu término na Secretaria de Segurança Pública.

Este foi mais um passo dado pelo Movimento, composto de entidades representativas da classe polícia civil, que visa a imediata contratação dos candidatos que passaram nos últimos concursos da Polícia Civil e Polícia Técnico Científica, reajuste salarial e efetivo cumprimento da Lei Federal nº 51/85 para as aposentadorias, com paridade e integralidade.

O ato público também lembrou as dezenas de colegas mortos em serviço e mostrou ao governo a necessidade de dialogar, para uma efetiva melhora da Polícia Civil.

O ato público contou com a participação de centenas de policiais civis, dos presidentes de todas as entidades que fazem parte do movimento, além de entidades associativas da Polícia Militar que apoiam o movimento.

Juntos somos fortes, unidos somos imbatíveis!

A Diretoria

Presidente do SIPESP é recebido pelo presidente do Tribunal de Contas do estado de São Paulo

No dia de ontem, o presidente do SIPESP, Sr. João Batista Rebouças da Silva Neto e o Delegado Sindical do SIPESP de Araraquara e Região, Sr. Maurício Roberto do Amaral, estiveram reunidos com o presidente do TCE Dr. Dimas Eduardo Ramalho.

Na oportunidade, o presidente do SIPESP, relatou um pouco da situação atual da Polícia Civil, que encontra-se fragilizada, vítima do esquecimento do Poder Executivo.

Relatou ainda, que a situação do policial se agrava, com a passagem para inatividade, tendo em vista que sofrem grande prejuízo salarial, por interpretações equivocadas da Administração, como no caso da aposentadoria especial e na exigência de 05 anos na classe para que a mesma se efetive no momento da aposentadoria.

O presidente do TCE, manifestou solidariedade com a situação atual e se colocou à disposição para ajudar no que for possível.

A Diretoria

Presidente do SIPESP é recebido pelo presidente do Tribunal de Contas do estado de São Paulo

Presidente do SIPESP é recebido pelo presidente do Tribunal de Contas do estado de São Paulo

SIPESP é homenageado na Câmara Municipal de São Paulo

No dia de ontem, 15/08/2016, o SIPESP foi homenageado na Câmara Municipal de São Paulo, com a “Salva de Prata”, instituída através do Decreto Legislativo 49/16.

A iniciativa da homenagem partiu do vereador Reis, que como investigador de polícia e sindicalizado, sempre esteve presente nos movimentos e sabe da importância que o SIPESP possui na luta pela valorização da nossa Polícia Civil ao longo de sua existência.

O presidente do SIPESP, João Batista Rebouças da Silva Neto, lembrou aos presentes que o SIPESP sempre atuou de forma dinâmica em prol não só de seus sindicalizados, mas de todos os policiais civis.

Ressaltou a importância da homenagem, que serve como forma de coroar o trabalho exercido ao longo da história, de todos aqueles policiais, que junto com a entidade, estiveram presentes nas principais lutas pela valorização policial e agradeceu o vereador Reis, em nome de todos os sindicalizados, pela homenagem recebida.

O vereador Reis, parabenizou o SIPESP e ratificou a importância da entidade, lembrando das dificuldades por que passa a Polícia Civil, enfraquecida pela omissão do Governo com a Segurança Pública.

Alguns investigadores de polícia aposentados, também foram homenageados na oportunidade, pela brilhante história prestada dentro da polícia civil e pela efetiva participação nas lutas por melhorias, sendo exemplos a serem seguidos.

Também discursou o presidente da Associação dos Comissários de Polícia Civil do Estado de Pernambuco – ACOMP/PE, o Sr. George Fernando Ribeiro Neves, que ressaltou a importância do SIPESP não só no âmbito estadual, mas principalmente no cenário nacional, pois sempre esteve comprometido com as causas que envolvem os policiais civis brasileiros.

A Diretoria

SIPESP participa da reunião do CONSEG

No dia de ontem, 26/07/2016, o SIPESP, representado pelo diretor Joraci de Campos, esteve presente na reunião do CONSEG Consolação/ Pacaembu, na cidade de São Paulo.

O clima de insegurança foi o assunto principal nas discussões, sendo certo que a sociedade clama por uma segurança pública de qualidade.

O Diretor do SIPESP, Joraci de Campos, lembrou aos presentes que a melhora da segurança pública, passa pela valorização dos nossos policiais e que o SIPESP, sempre comprometido com a sociedade, encontra-se em campanha pela valorização policial, em conjunto com outras entidades classistas, no movimento denominado ‘S.O.S Segurança Pública’.

Esclareceu que dentre as reivindicações, o movimento postula a imediata nomeação dos candidatos que passaram nos concursos da Polícia Civil, que certamente amenizará a situação dos Policiais Civis, que encontram-se sobrecarregados, por conta do baixo efetivo.

Enalteceu ainda, a participação da sociedade, através dos CONSEGS de todas as regiões, sendo este um instrumento de suma importância para uma segurança pública de qualidade.

Estiveram presentes na reunião, representantes da sociedade civil, Polícia Militar, além do presidente do SINPCRESP, Sr. Eduardo Becker Tagliarini.

A Diretoria

Presidente do SIPESP da entrevista ao Jornal Diário de São Paulo no dia 23/07